Laboratória promove hackathon para incluir mais mulheres no mercado de tecnologia

Na contramão da crise, 100% das estudantes que participaram da última edição conseguiram emprego na área tech

Talita Silva, 28 anos, estava infeliz com sua profissão e não sabia qual seria seu próximo passo profissional. A pandemia veio e trouxe ainda mais incerteza para a jovem, que, por acaso, acabou conhecendo a Laboratória no ano passado. Depois de um longo e concorrido processo seletivo, com mais de 4 mil candidatas, chegou a boa notícia: Talita havia sido aprovada e, em outubro, começou o bootcamp de seis meses da Laboratória no Brasil para se tornar desenvolvedora front-end júnior.

Passado um semestre, Talita irá concluir o curso e, entre os dias 12 e 16 de abril, poderá participar do hackathon organizado pela Laboratória a fim de conectar as estudantes com o mercado de trabalho. Em sua quinta edição, o Talent Fest é um evento em que as graduadas, divididas em squads, devem resolver desafios propostos em aproximadamente 30 horas, por diferentes empresas. É um momento de grande emoção para as graduadas por ser uma oportunidade única de mostrar tudo que aprenderam nos últimos seis meses de curso.

Neste ano, o encontro terá a participação de Avanade, Banco Safra, Cargill, Everis, Natura, Pravaler, Raizen e Tivit. No último dia, haverá a Demo Night, momento de apresentação das soluções encontradas pelas alunas às empresas com demonstração do MVP (mínimo produto viável) e apresentação do código. Também serão feitas entrevistas com possibilidade de contratação. Na última edição, 100% das alunas foram contratadas.

Por ser remota, a turma atual é extremamente diversa e conta com estudantes de São Paulo, Recife, Rio de Janeiro, Goiás, Paraná, Bahia e Minas Gerais. Além disso, 4% se declaram amarelas, enquanto 46% são brancas e 50% se autodeclaram negras ou pardas. Em relação à escolaridade, 20% completaram apenas o Ensino Médio, 63% têm superior completo ou incompleto e 17% possuem curso técnico.

Após os quatro últimos bootcamps da Laboratória, empregamos 94% das mulheres em vagas de tecnologia, percentual que nos deixa muito contentes. Apesar do cenário desafiador, estamos otimistas com o Talent Fest, pois sabemos que essas estudantes têm imenso potencial”, afirma Regina Acher, cofundadora da Laboratória no Brasil.

SOBRE A LABORATÓRIA

A Laboratória capacita as mulheres para terem um futuro melhor e para desenvolverem uma carreira transformadora em tecnologia. Para cumprir nossa missão, oferecemos um bootcamp em que desenvolvemos habilidades técnicas e socioemocionais para que essas mulheres comecem uma carreira na área tech. Conectamos as graduadas com oportunidades de emprego de qualidade no setor e temos uma comunidade vibrante de graduadas que se apoiam mutuamente no crescimento de cada uma para que se tornem futuras líderes na América Latina. Mais de 1.800 mulheres já passaram pelo bootcamp da Laboratória no Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru e cerca de 80% conseguem um emprego na área tech após o bootcamp.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram
Luan Morais

Luan Morais

Analista de Suporte e Infraestrutura | Criador da página TI da Depressão | Fundador Hub da TI. Quer conversar sobre tecnologia? Manda um e-mail para: E-mail para: contato@techdicas.net.br
Luan Morais

Luan Morais

Analista de Suporte e Infraestrutura | Criador da página TI da Depressão | Fundador Hub da TI. Quer conversar sobre tecnologia? Manda um e-mail para: E-mail para: contato@techdicas.net.br